Refeição popular dobra de preço e qualidade cai pela metade

maio 30 15:38 2015 Imprimir matéria

A crise financeira do Governo do Estado chegou à mesa. Desde o início de maio, os 16 restaurantes populares do Rio enfrentam redução no cardápio devido aos quatro meses de atraso no repasse de verba para as empresas terceirizadas, responsáveis pela administração das unidades. O pão e a sopa que eram servidos junto com a comida já não existem mais. O copo do suco diminuiu de 300 para 200 ml. O problema ocorre no mesmo mês em que a Secretaria Estadual de Assistência Social e Direitos Humanos dobrou a tarifa das refeições, passando a cobrar R$ 2.

No contrato de serviço para o preparo, fornecimento e distribuição das refeições, firmado entre o governo e as 10 empresas responsáveis pelos restaurantes, está previsto obrigatoriamente no almoço, sopa de 250 gramas e salada de 60 a 80 gramas como entrada e o pão de sal como acompanhamento. O documento estabelece ainda que o suco deve ser servido em copo de 300 ml. A reportagem constatou que nenhum dos itens eram servidos há pelo menos um mês e o suco chegava à bandeja em copos de 200 ml.

Em Duque de Caxias, nem o café dado de cortesia existe mais. As opções de sobremesa, que em outros tempos eram fartas, atualmente estão restritas ao doce industrializado de 70 gramas ou uma laranja. No contrato de serviço, está previsto o fornecimento gratuito de café ou chá, o que não é cumprido. Para as sobremesas, o cardápio inclui também sorvete e pudim, pelo menos uma vez no mês.

Fonte: Jornal O Dia

  Categories:
Veja mais notícias

Autor da matéria

Fabiano Perfil
Fabiano Perfil

Veja mais notícias